Economia & Mercados
01/12/2021 15:22

Exclusivo: Latam terá nova linha de manutenção em São Carlos e prevê corte de custos de até 40%


Por Juliana Estigarríbia

São Paulo, 01/12/2021 - A Latam abrirá uma nova linha de manutenção pesada em São Carlos (SP), que passará a concentrar 56% das operações do gênero em todo o grupo. Como resultado, os custos totais de manutenção da empresa aérea devem ser reduzidos em até 40% na comparação com serviços prestados por terceiros, o que, de acordo com a companhia, se encaixa na estratégia de sair da pandemia ainda mais forte.

“A Latam pós-pandemia será mais competitiva e eficiente. A redução de 40% de custos, internalizando a operação, é um exemplo disso”, afirmou ao Broadcast o diretor de manutenção da aérea no Brasil, Alexandre Peronti.

Ele esclarece que a manutenção pesada de aeronaves pode ser feita internamente ou por meio da contratação de terceiros, como, por exemplo, a Lufthansa, que presta esse tipo de serviço. No entanto, a meta da Latam é reduzir custos e, neste sentido, os primeiros estudos para levantar mais uma linha começaram há cerca de quatro meses.

Segundo o executivo, o centro Latam MRO (Maintenance, Repair and Overhaul) do interior paulista possui um papel estratégico dentro do grupo devido à sua capacidade tecnológica. Com a internacionalização do aeroporto de São Carlos há alguns anos, a companhia conseguiu priorizar no Brasil a manutenção pesada dos Boeing 767 e da família Airbus A320 desde 2019. Isso porque, anteriormente, os aviões não matriculados no País precisavam passar por outro terminal internacional antes de chegar ao centro de manutenção de São Carlos, o que prolongava e encarecia o processo.

Aumento de capacidade
A atual capacidade de manutenção na unidade de São Carlos é de 10 a 12 checks anuais de aeronaves Boeing 767. Agora, com a sua segunda linha, essa capacidade deve dobrar para aproximadamente 20 checks por ano.

O Latam MRO concentra ainda sete linhas de manutenção pesada para aeronaves da família Airbus A320, com capacidade de realizar 100% dos checks da frota brasileira desse modelo, além de 66% da frota de todo o grupo Latam. A meta é alcançar 74% até 2022.

As manutenções pesadas de aeronaves Boeing 767 são realizadas a cada 18 meses e podem durar de 25 a 35 dias, o que varia de acordo com a idade e as orientações do fabricante. Entre os procedimentos, estão a desmontagem do avião e inúmeros testes. “Também temos feito a introdução de novas tecnologias. Algumas tarefas externas já são feitas através de drone, como inspeção, por exemplo”, conta Peronti.

Para a nova linha, que deve começar a operar em maio de 2022, foram abertas 127 vagas de trabalho. “A criação de uma nova linha de manutenção pesada significa contratar profissionais especializados, o que demonstra que estamos investindo e desenvolvendo o País”, observa o executivo.

O grupo Latam enfrenta o chamado Chapter 11 nos Estados Unidos, o equivalente à recuperação judicial no Brasil. De acordo com Peronti, a decisão de abrir uma nova linha de manutenção pesada em São Carlos é mais uma contribuição para os planos da companhia. “Vamos ser ainda mais eficientes.”

Contato: juliana.estigarribia@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: