Economia & Mercados
01/12/2021 11:29

Fogo de Chão fará IPO para voltar à Bolsa americana em operação de pelo menos US$ 100 milhões


Por Altamiro Silva Junior

São Paulo, 01/12/2021 - A rede de churrascarias Fogo de Chão vai voltar a listar ações nos Estados Unidos, desta vez na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), em oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) prevista para as próximas semanas. O prospecto fala em levantar US$ 100 milhões, mas o valor por ora é meramente para constar nos documentos inicias, enquanto se discute o tamanho real da oferta e a sinalização de preço da ação.

A Fogo de Chão, ou "fogo-dee-shoun", como ensina o prospecto sobre a pronúncia do nome, nasceu no Brasil, mas não é mais uma companhia brasileira. Fundada em 1979 em Porto Alegre, foi comprada em 2012 pelo fundo Thomas H Lee Partner por US$ 400 milhões.

Em 2015, fez IPO na Nasdaq e levantou US$ 88 milhões. Três anos depois fechou o capital, quando foi vendida para o fundo Rhône Capital, por US$ 560 milhões. Na prática, quem vai abrir o capital é a Fogo Hospitality, a dona da rede de churrascaria.

Os recursos do IPO devem ser usados para pagar dívidas da rede, que somavam US$ 296 milhões no começo de outubro, de acordo com o prospecto, um crescimento de 114% na comparação anual. A receita no Brasil é apenas uma fração pequena do total, somando US$ 8,7 milhões no mesmo período.

A rede de churrascaria, conhecida internacionalmente pelos seus rodízios, está em 46 cidades dos Estados Unidos e vê potencial para chegar a ao menos 300 restaurantes no país em 20 anos. Além dos EUA, está em 14 países. No Brasil, são sete restaurantes. Para 2022, o plano é abrir de 8 a 10 restaurantes próprios e "uma ou duas" franquias internacionais.

O IPO é coordenado pelo Morgan Stanley, Bank of America, Jefferies, Raymond James e Credit Suisse. O código de negociação da ação na NYSE será "FOGO".

Contato: altamiro.junior@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: