Economia & Mercados
22/06/2021 09:30

Febraban/Sidney: bancos evitaram que a economia ficasse pior e crise menos severa


Por Aline Bronzati e Marcelo Mota

São Paulo, 22/06/2021 - O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Sidney, afirmou que os bancos tiveram uma "contribuição sem precedentes" em meio à pandemia do novo coronavírus no País. "Os bancos evitaram que a economia ficasse pior, de tudo temos feito para que a crise econômica seja menos severa", disse, durante a abertura do CIAB, tradicional feira de tecnologia bancária, que ocorre no formato virtual por conta da pandemia.

O volume de crédito concedido durante a pandemia, conforme Sidney, foi "inédito" e com juros abaixo das taxas vistas antes da crise, totalizando R$ 4,5 trilhões entre março de 2020 a março de 2021. "Nunca se viu isso em crises anteriores, quando o crédito secava e os juros subiam", destacou o presidente da Febraban.

Ele chamou atenção ainda para os 500 mil bancários, que seguiram na linha de frente das agências, que seguiram abertas durante a crise. "A Faria Lima não é apenas um monte de prédios, mas sim um monte de gente e a enorme parte dos bancários que fizeram as coisas acontecer estão lá e em mais de 4 mil municípios".

Os bancos estão presentes, conforme Sidney, onde "muitos dos novos entrantes sequer conhecem a dura realidade dos rincões" do País.

Contato: aline.bronzati@estadao.com e marcelo.fernandes@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos