Agronegócios
14/01/2022 08:35

Cana/NovaBio: moagem no Norte e Nordeste alcançava em dezembro 40,81 mi de t (+2,1% ante 2020/21)


Por Augusto Decker

São Paulo, 14/01/2022 - As regiões Norte e Nordeste do Brasil processaram até dezembro 40,81 milhões de toneladas de cana-de-açúcar 2021/22, volume 2,1% maior do que no mesmo período do ciclo anterior, estima a Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio). De acordo com comunicado da entidade, 75% da safra já foi colhida. A safra de cana, no Norte, dura entre maio e abril nos Estados do Ceará, Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins. Já no Nordeste, vai de setembro a agosto em Pernambuco, Alagoas, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte e Sergipe.

As usinas locais produziram 2,07 milhões de toneladas de açúcar até dezembro, 4,2% a menos do que no mesmo período de 2020. A projeção da NovaBio, porém, é de recuperação, com a fabricação do adoçante alcançando 3,27 milhões de toneladas até o fim da safra 2021/22, 7,6% a mais do que na temporada anterior.

A produção de etanol no período totaliza 1,74 bilhão de litros, alta de 1,4%. "Até o encerramento da safra, espera-se uma fabricação total de 2,21 bilhões de litros do biocombustível, volume 3,2% superior à safra 2020/2021, quando se produziu 2,14 bilhões de litros", afirma a NovaBio.

A fabricação do biocombustível anidro teve alta de 7% até dezembro, alcançando 881,18 milhões de litros. A projeção até o fim da temporada é de crescimento de 9,2%, para 1,05 bilhão de litros. Os estoques estão em níveis 25,1% mais altos do que no mesmo período de 2020, em 292,08 milhões de litros. O presidente-executivo da NovaBio, Renato Cunha, afirma em comunicado que a armazenagem expressiva do anidro "ainda se deve à importação do produto, que continua chegando aos portos brasileiros com muita intensidade e sem respeitar o período de safra do Norte e Nordeste, com as distribuidoras, que também são importadoras, priorizando o anidro estrangeiro e preterindo as compras do nacional".

Quanto ao hidratado, a produção até dezembro registrou queda anual de 3,9%, a 864,37 milhões de litros. O armazenamento cresceu menos do que o anidro: a alta foi de 10,85%, a 167,36 milhões de litros.

O mix de produção até 31 de dezembro foi de 41,15% ao açúcar e 58,85% ao etanol. Um ano antes, a proporção era de 42,54% ao adoçante e 57,46% ao biocombustível.

A qualidade da cana, medida pelo índice de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR), alcançou 129,33 kg/t na segunda quinzena de dezembro, 2,9% a menos do que no mesmo período de 2020.

Projeções
A NovaBio espera que usinas do Norte e Nordeste processem 54,22 milhões de toneladas de cana-de-açúcar no ciclo 2021/22, 4,2% a mais do que na safra anterior.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: