PR Newswire Internacional
30/04/2019 14:11

LAFIS: saldo nas operações de crédito crescem neste primeiro trimestre de 2019, mas é acompanhado por uma alta da inadimplência


LAFIS: saldo nas operações de crédito crescem neste primeiro trimestre de 2019, mas é acompanhado por uma alta da inadimplência

PR Newswire

SÃO PAULO, 30 de abril de 2019 /PRNewswire/ -- No dia 26/04, o Banco Central do Brasil anunciou o saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional referente ao mês de março de 2019, atingindo R$ 3,27 trilhões. Este resultado indica uma variação positiva e igual a 0,7% quando comparado ao mês anterior, segunda alta consecutiva neste primeiro trimestre do ano. Na análise dos últimos 12 meses, também observou-se um avanço, igual a 5,7% e a maior variação positiva desde janeiro de 2016 (6,2%).

Contribuiu para este desempenho o saldo das operações com pessoas físicas, que também apresentou avanço mensal em fevereiro de 2019, crescendo 0,6% no mês, totalizando um saldo de R$ 1,828 trilhão, maior patamar da série histórica iniciada em março de 2007. Na análise dos últimos 12 meses, houve avanço de 9,2%. De forma semelhante, as operações com pessoas jurídicas cresceram no mês, avançando 0,8% no período, porém ainda não suficiente para compensar a queda observada no mês de janeiro (-2,7%), totalizando R$ 1,439 trilhão. Já a variação dos últimos 12 meses (+1,6%) mantém a aceleração no ritmo de crescimento nesta análise, trajetória iniciada já no início do ano. Importante destacar que este resultado foi o melhor desempenho para o período desde março de 2015 (+10,5%).

No que diz respeito à taxa de inadimplência da carteira de crédito total do sistema financeiro, referente aos atrasos superiores a noventa dias, esta voltou a crescer após recuar 0,05 p.p. no mês anterior, avançando 0,07 p.p. em março de 2019 na comparação com o mês anterior e alcançando 2,97%. Este resultado foi impulsionado pelo crescimento da inadimplência em ambos os segmentos analisados: no que diz respeito à pessoa física, o avanço da inadimplência foi igual a 0,06 p.p., devolvendo o recuo observado no mês anterior (-0,03 p.p.) e  alcançando o nível de 3,36%; quanto à pessoa jurídica, o avanço foi superior ao das famílias, igual a 0,09 p.p., alcançando 2,48%, o menor nível para o mês de março desde 2015 (2,06%).

Neste sentido, considerando as informações do último Relatório de Política Monetária e Operações de Crédito do SFN divulgado pelo Banco Central, percebe-se que, apesar da queda na demanda por crédito no início do ano, a carteira total das operações encerrou o primeiro trimestre de 2019 com um saldo positivo, favorecida tanto pelas modalidades destinadas às pessoas jurídicas quanto às pessoas físicas. Em consonância com tal desempenho, ainda que tenha avançado no mês, a inadimplência segue abaixo dos níveis observados no ano anterior em todas as modalidades ? em comparação com mês de março de 2018, a inadimplência total recuou 0,32 p.p., influenciado tanto pela inadimplência das empresas (-0,38 p.p.) quanto das famílias (-0,29 p.p.). O custo destas operações, representado pelo Indicador de Custo de Crédito (ICC), recuou 0,1 p.p. em março de 2019, alcançando 21,0% a.a., assim como na análise dos últimos 12 meses, igual a 0,5 p.p..

Tendência: confirmando a expectativa de crescimento neste primeiro trimestre de 2019, o saldo nas operações de crédito segue em trajetória ascendente apesar do crescimento do nível de inadimplência, mas favorecido pela leve queda no ICC. Tal trajetória de crescimento vem sendo impulsionada tanto pela carteira de pessoas físicas quanto jurídicas, com manutenção do destaque para a modalidade com recursos livres. Em relação às famílias, esta carteira cresceu 0,9% no mês como resultado do aumento no crédito pessoal e financiamento de veículos, assim como no período anterior, aumentando as expectativas relacionadas à expansão dos gastos familiares com produtos de maior valor agregado.

Do ponto de vista do empresariado, o destaque vai para descontos de duplicatas e recebíveis, bem como para antecipação de faturas de cartão, aquisição de veículos e adiantamentos sobre contratos de câmbio. Apesar deste resultado, cabe pontuar que a demanda por crédito com recursos direcionados continua em declínio para estes agentes, trajetória observada desde 2016, com raros períodos de estabilidade. Tal comportamento reforça que a geração de um novo ciclo de investimentos dependerá, em boa parte, da aprovação das reformas propostas pelo novo governo, principalmente relacionada à previdência, acreditando-se que tais reformas serão capazes de criar um ambiente de negócios mais favorável à geração de empregos e reocupação da capacidade instalada.

Especialista do Setor:

Fernanda Rodrigues - Graduada em Ciências Econômicas e mestre em Economia Aplicada, ambos pela Universidade Federal de São Carlos, atua como Especialista Setorial em Serviços ao Consumidor, canalizando esforços para o desenvolvimento e processamento de pesquisas quantitativas/qualitativas relacionadas aos mais variados tipos de serviços - comércio varejista geral, bancos, sistemas de saúde, e-business, entre outros.

Mais Informações:
Lafis Consultoria ? www.lafis.com.br
Caique Rocha ? caique.rocha@lafis.com.br
(11) 3257-2952

 

FONTE Lafis

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos