Releases
02/07/2019 13:34

O poder da Influência e engajamento na transformação digital


Porto Alegre RS--(DINO - 02 jul, 2019) - "Se comunicar melhor significa melhorar suas carreiras, seus relacionamentos e a melhorar suas empresas", afirmou Débora Brum, sócia-diretora da Comunicativa Fonoaudiologia Empresarial no Seminário Gestores de TIC, promovido pela SUCESU-RS. A programação contou com 156 participantes, sendo destes 97 gestores, e aconteceu na uMov.Me Arena, em Porto Alegre.

Débora iniciou sua fala questionando os participantes a respeito de algumas situações rotineiras no ambiente de trabalho, como a dificuldade de serem interpretados corretamente, problema em engajar o time ou de motivar a pessoas ao redor. A palestrante apresentou o conceito do mundo VUCA, que é uma sigla para Volatility (volatilidade), Uncertain (Incerto), Complex (Complexo) e Ambiguity (Ambíguo). A volatilidade representa a velocidade com que as mudanças ocorrem, muito por conta do impulso tecnológico da vida moderna. A incerteza está relacionada a incapacidade de prever as próximas tendências. A complexidade é representada pela falta de linearidade nas questões que permeiam a vida e, por fim, a ambiguidade, já que no mundo atual uma pergunta pode ser respondida de inúmeras formas.

"Neste contexto é muito importante desenvolver competências que façam as pessoas performarem melhor, para que sobrevivam a este mundo. Precisamos focar no que vai fazer diferença para o desenvolvimento e transformação das pessoas. A capacidade de influenciar, programar, discutir, negociar", explicou Débora, ao salientar a importância cada vez maior que as chamadas soft skills estão ganhando. Segundo ela, em um cenário de quarta revolução industrial, irá se destacar quem souber falar a língua dos homens, e tudo isso só se consegue através de habilidades de comunicação.

Para desenvolver tais habilidades, Débora salientou dois pilares que colaboram para a performance da comunicação: fala assertiva e escuta ativa. "Ainda não conseguimos nos comunicar por telepatia, precisamos transmitir nossas ideias falando. Percebo que, quando as pessoas precisam influenciar e transmitir suas ideias, têm tudo muito claro na cabeça, mas na hora de falar as ideias saem confusas".

Evitar desentendimentos e potencializar resultados

"Desentendimento é quando eu falo 'A' e o outro entende 'B'. Porque não percebemos, no momento da conversa, quando estamos alinhando as ideias, que a outra pessoa não entendeu. O problema de comunicação acaba sendo descoberto apenas quando algo já deu errado, quando foi entregue algo que o cliente não pediu", exemplificou. Para evitar tais ruídos na comunicação, Débora apresentou três estratégias: a comunicação S.E.R, o Pitch e Influência e a Escuta Ativa.

O termo "Comunicação S.E.R" reúne as iniciais de três importantes aspectos para uma fala efetiva. Sucinta, que baseia-se na ideia de economizar palavras, para que o interlocutor entenda melhor aquilo que está sendo falado. Específica, que diz respeito a simplicidade daquilo que está sendo falado, que deve ser transmitido de forma acessível. E, por fim, a relevância, aspecto responsável pelo engajamento. É a relevância que vai fazer com que alguém entenda o propósito daquilo que você está transmitindo.

O Pitch de Influência está ligado a uma fala assertiva, objetiva, clara, empática, relevante e direcionada aos resultados. Este tipo de fala precisa ser muito bem pensada e elaborada, o que requer preparação. "Esse é um recado para aqueles que gostam de improvisar. É preciso pensar muito, elaborar estratégias de argumentação", disse Débora.

Por fim é a vez da Escuta Ativa, que está focada em entender o interlocutor, compreender as necessidades de quem está do outro lado. "Precisamos domar a nossa ansiedade, que nos faz interromper as pessoas no meio da fala, pois pensamos que já entendemos o que ela quer e paramos de ouvir", disse. A escuta ativa requer que atenção para o que está sendo dito, questionar sempre que não tiver certeza e, sempre que possível, parafrasear o outro. "Nós falamos, em média, 250 palavras por minuto, mas nosso ouvido é capaz de ouvir 500 palavras neste tempo. Sobra muito espaço para o cérebro e é por isso que divagamos", explicou Débora.


Website: http://www.sucesurs.org.br

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos