Releases
10/06/2019 10:20

Manutenção preventiva de carros, vale a pena, é economia


São Paulo/SP--(DINO - 10 jun, 2019) - A troca periódica dos componentes de um veículo é recomendação das montadoras e especialistas. O motorista deve estar atento e conhecer a vida útil das peças para providenciar a substituição no prazo correto.

Não importa a marca ou modelo, a manutenção preventiva é importante para todos os veículos, quer sejam carros ou motos. As falhas na manutenção costumam provocar problemas mecânicos caros, além de acidentes.

Eles precisam ser mantidos em boas condições e para isso precisamos saber quais são os itens de manutenção preventiva obrigatória. Além disso, escapamos de sermos enganados por mecânicos e oficinas desonestas.

Especialistas do setor foram consultados e falaram sobre as trocas e o tempo médio entre elas. Abaixo você pode consultar o calendário para trocas obrigatórias e inspeção periódica.

Quais são os itens de troca obrigatória?

São os componentes que tem hora certa para serem trocados:

Alinhamento dos pneus 10 a 20 mil km
Correia dentada 40 mil a 100 mil km, em média 60 mil km
Correia do compressor do ar-condicionado Com a correia dentada
Correia do alternador Com a correia dentada
Correia da bomba d'água poly-v Com a correia dentada
Filtro de combustível 20 mil km
Filtro de óleo Na troca de óleo
Filtro de ar Na troca de óleo
Filtro de cabine antipólen Anual
Fluído das transmissões ou câmbio 60 a 100 mil km ou 2 a 4 anos
Óleo de freio Seis meses a um ano
Limpeza do ar-condicionado Anual
Líquido de arrefecimento A cada dois anos
Limpeza do sistema de arrefecimento Na troca do líquido de arrefecimento
Óleo lubrificante A cada 5 mil km, 10 mil km - pode variar
Pneus A cada 5 anos
Velas Podem variar de 15 mil a 100 mil km

Obs.: O óleo lubrificante varia conforme o tipo, se mineral, sintético ou semissintético, e a durabilidade também varia em função do uso do veículo.

Itens para serem inspecionados e trocados se necessário

Componentes que precisam ser inspecionados e trocados se apresentarem desgaste ou perda de função. São eles:

Água do limpador de para-brisa De acordo com o nível
Buzina Se for danificada em alagamentos
Cintos de segurança Se estiverem desgastados
Embreagem De acordo com o carro, manual ou automático
Estepe Calibrar a cada 2 meses
Fluído da direção hidráulica De acordo com o nível
Fluído do freio ou óleo do freio Medir o nível de contaminação
Limpadores de para-brisa Conforme o desgaste das palhetas
Luzes Verificar faróis, lanternas, luz da cabine, luz das setas e luzes do
painel
Pneus Conforme o desgaste dos sulcos
Sistema de carga Bateria - 2 anos
Sistema de freios Desgaste de pastilhas, discos, ou lona e tambor
Sistema de suspensão Desgaste de amortecedor, bandeja, pivô, articulações e molas

Além destas indicações, é muito importante consultar o manual do seu carro. Nele estão as informações de manutenção e os produtos específicos que devem ser utilizados no seu carro.

Faça a manutenção preventiva para evitar a corretiva

A manutenção preventiva é muito necessária. O motorista bem informado escapa de oficinas desonestas, que querem vender serviços desnecessários. Atualmente, a indústria automobilística segue a tendência de aumentar o período de troca dos componentes, para favorecer o consumidor.

O óleo do motor, por exemplo, que antes tinha validade de 1.500 a 3.000 km, passou a 5.000 km e depois a 10.000 km. As concessionárias também aumentaram o tempo de garantia e o intervalo para que seja necessário fazer uma revisão no carro.

Na revisão regular são feitas várias checagens da manutenção preventiva, que já garantem que o veículo esteja em boas condições de funcionamento. A manutenção regular preventiva evita quebra dos componentes e reduz em muito a necessidade de manutenção corretiva, ou seja, o conserto ou a troca de peças de alto custo que se danificaram.

A manutenção corretiva é sempre mais cara que a manutenção preventiva. Por isso, dizemos que a manutenção preventiva é economia. Os itens de troca obrigatória são os fluídos e peças que têm tempo de validade, porque se degradam com o uso, como o óleo do motor e o filtro de ar. Portanto, sua substituição é obrigatória.

Os componentes de inspeção obrigatória têm durabilidade incerta, dependendo do uso, do cuidado do motorista e da qualidade do item. Sem a inspeção não é possível decidir trocar ou não. É o caso das palhetas dos limpadores de para-brisas, das pastilhas de freio ou das embreagens. Se não houver desgaste, não há necessidade de troca.

Regulagem de farol deve ser feita juntamente com alinhamento de pneus

Os faróis alinhados são imprescindíveis para a segurança no trânsito. Eles garantem a boa visibilidade e evitam acidentes. Faróis desregulados constitui infração de trânsito, passível de multa.

Segundo o diretor da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), Dirceu Alves, ao anoitecer a percepção visual do motorista cai em 50%. Nessas condições, se altera a avaliação de distância e velocidade. Quando o motorista não enxerga bem acontecem acidentes graves, que, em muitos casos, podem ser evitados com a regulagem do farol.

Em 2017, das 19h às 6h, período em que são necessários os faróis, foram registrados 31 mil acidentes, pela Polícia Federal, nos quais 3.000 pessoas perderam a vida.

Website: https://www.seguroauto.org/manutencao-preventiva-de-carros-vale-a-pena

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos