Releases
29/11/2018 11:51

Programa da Sefaz-SP quer estreitar relacionamento entre fisco e contribuinte, explica consultor na ACSP


São Paulo, 29 de novembro de 2018. O consultor tributário da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP) Marco Antonio Veríssimo Teixeira apresentou na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), no dia 23/11, como será o funcionamento do Programa de Estímulo à Conformidade Tributária – “Nos Conformes”, atualmente em fase de testes e que passará a valer para todos os contribuintes paulistas a partir de 1º de março do ano que vem.


“É um programa interessante da secretaria, que procura melhorar a relação entre fisco e contribuinte com base em bons princípios. Existem, claro, alguns problemas ? como a questão do fornecedor ?, mas deverão ser solucionados até a implementação definitiva do programa nos próximos meses”, comentou Marcel Solimeo, economista e superintendente institucional da ACSP.


De acordo com o consultor, o objetivo do programa é favorecer os bons pagadores, que em troca receberão tratamento privilegiado junto ao fisco, embora a secretaria ainda não tenha deixado claro quais seriam esses privilégios. “Queremos proporcionar às empresas a segurança de que a nova postura da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo - na construção dessa relação de confiança entre o fisco e o contribuinte - proporcionará todos os meios de orientação e simplificação das obrigações para que possam ser cumpridas de forma a promover um melhor ambiente de negócios. Esse é o espírito”, disse o palestrante.


Pelo programa, o contribuinte será classificado em seis categorias (A+, A, B, C, D e E), com base em três critérios: adimplência das obrigações pecuniárias, aderência entre o que foi declarado e o que foi documentado e o perfil dos fornecedores. “Aquele que tenta cumprir, a secretaria tenta instruir e auxiliar. Àquele que não cumpre, então a secretaria reativamente colocará medidas punitivas”, alertou o consultor.


De forma geral, Teixeira explicou que existem dois motivos que levam uma empresa a não cumprir suas obrigações tributárias. O primeiro é a probabilidade de ela ser auditada pelo fisco. O segundo é o valor da multa tributária. “A reação tradicional, que seria o modelo repressivo, é o órgão fazendário aumentar o número de fiscalização e auditoria e aumentar os valores da multa”, afirmou.


Para ele, porém, numa sociedade moderna, o fisco também tem de se orientar pela eficiência. “Então, se eu tenho que constantemente aumentar a minha auditoria, eu não estou sendo eficiente. Eu posso, claro, aumentar o valor das multas, mas ele tem de respeitar o princípio da proporcionalidade, ou seja, a multa tem de ser proporcional à gravidade da infração e à culpabilidade do agente”, argumentou.


Querendo então otimizar o sistema de arrecadação, a Sefaz-SP decidiu criar o Programa de Estímulo à Conformidade Tributária – “Nos Conformes”. Segundo Teixeira, a ideia é incentivar a autorregularização em detrimento de instrumentos punitivos. “O fisco deve orientar seu comportamento como reação ao comportamento do contribuinte. Como a maior parte dele quer cumprir com suas obrigações, o fisco deve simplificar as obrigações”.


Além da simplificação, o programa tem como pilares a boa-fé, a previsibilidade de condutas, a segurança jurídica e a transparência.


 


(Renato Santana de Jesus - rjesus@acsp.com.br - 11-3180-3225/3220)  


 

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos