Política
01/09/2023 17:38

Lula diz que fêmur dói 'sentado, de pé e deitado' e confirma cirurgia no fim de setembro


Por Sofia Aguiar e Caio Spechoto

Brasília, 1/9/2023 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou que irá realizar no final de setembro cirurgia no quadril para tratar de uma dor crônica que, segundo ele, acomete a cabeça do fêmur. Conforme mostrou a reportagem ontem, 31, a data prevista para o procedimento é 29 de setembro.

“Eu, desde o ano passado, tenho um problema na cabeça do fêmur. Desde o ano passado, estou sendo instigado a fazer uma cirurgia no quadril. E eu não quis fazer. Primeiro, porque vieram as eleições, estava em campanha, não ia fazer. Depois eu ganhei e falei, ‘Não posso parar agora e ir para o hospital, eu preciso governar esse País e recuperar tudo o que eles destruíram’. E agora eu não posso parar enquanto eu não viajar”, comentou o presidente, em cerimônia em Luís Gomes (RN), onde visitou as obras do Túnel Major Salles no Ramal do Apodi, uma estrutura para distribuição de água, nesta sexta-feira, 1º.

De acordo com Lula, a última viagem internacional que fará antes da cirurgia será para participar da 78ª Sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, em Nova York, entre 18 e 21 de setembro. No percurso, o petista irá parar em Cuba. Na volta ao Brasil, ele contou que irá receber o presidente do Vietnã, Võ Van Thuong, no dia 26.

“E aí eu vou me preparar para fazer a tal da cirurgia”, contou. “Eu vou parar, porque quero confessar para vocês que essa dor dói de manhã, dói de dia, dói sentado, dói em pé, dói deitado, e não tem remédio, o remédio é operar”, lamentou.

Lula reclama há meses de dores no fêmur. Em julho, ele fez um procedimento para aliviar o desconforto e disse que faria a cirurgia para corrigir definitivamente o problema em outubro.

Contatos: sofia.aguiar@estadao.com e caio.spechoto@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso