Política
12/05/2022 12:49

Eleições 2022: Garcia erra ao minar Tarcísio e acenar a eleitor de Bolsonaro, diz especialista


Por Giordanna Neves

São Paulo, 04/05/2022 - A estratégia do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), em mirar nos eleitores do presidente Jair Bolsonaro (PL) e minar o pré-candidato Tarcísio de Freitas (Republicanos) é equivocada e vai no sentido contrário ao cenário revelado por pesquisas de intenções de voto. A avaliação é do cientista político Daniel Marinho ao Broadcast Político.

Levantamento divulgado hoje, 12, pela Genial/Quaest mostra que, entre os entrevistados que avaliam positivamente a gestão do ex-governador de São Paulo João Doria, 45% votam em Fernando Haddad (PT) e apenas 9% votam em Garcia.

De acordo com Marinho, os números mostram que a gestão Doria traz votos a Haddad e não a Garcia, que deveria ser a continuidade do governo tucano. "Para que brigar com o Tarcísio se a avaliação do Doria traz hoje votos ao Haddad? É daqui que ele [Garcia] tinha que pensar na estratégia de campanha. Não estamos falando da imagem do Doria, mas do governo", disse.

"A melhor saída seria mostrar os feitos e ações do governo estadual. Se o eleitor aprova ou avalia bem o governo, faz sentido votar no candidato que representa essa continuidade. Mas a maioria não sabe que Garcia era o vice do Doria", completou o cientista político. Garcia tem evitado fazer acenos ou mencionar o seu antecessor neste período de pré-campanha.

Garcia tem adotado discurso voltado para segurança pública, que tem grande apelo ao eleitorado de Bolsonaro, além de tentar minar Tarcísio ao se mostrar como "paulista raiz" nas redes sociais. O pré-candidato de Bolsonaro nasceu no Rio de Janeiro e seus rivais apostam nisso para enfraquecê-lo na disputa pelo governo de São Paulo.

Apesar destes posicionamentos, o governador de São Paulo tem acumulado esforços para fugir da polarização nacional, se mostrando como uma opção que não esteja atrelada nem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nem a Bolsonaro.

Para Marinho, o movimento é correto pois, no cenário de hoje, os dados corroboram que o eleitor paulista busca um nome independente. “O Garcia é o candidato que tem mais condições de ganhar este espaço”, completou o cientista político.

A Genial/Quaest mostrou hoje que 38% dos eleitores de São Paulo preferem que vença um candidato “nem ligado a Bolsonaro, nem ligado a Lula”.

Contato: giordanna.neves@estadao.com

Para saber mais sobre o Broadcast Político, entre em contato com comercial.ae@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

MAIS NOTÍCIAS

Política
12/05/2022 12:39
Maílson: Privatização/Petrobras colocará contra governo a esquerda, parte/direita e militares
Política
12/05/2022 12:39
Maílson: Bolsonaro só está sendo a favor da privatização por questão eleitoral, não racional
Política
12/05/2022 12:39
Maílson: Congresso reflete sociedade, que não aprova privatização
Política
12/05/2022 12:38
Maílson: Privatização de empresa desse porte não acontece em menos de 3 anos
Política
12/05/2022 12:38
Maílson sobre Petrobras: ideia [de privatizar] é correta, mas não tem viabilidade

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: