Economia & Mercados
28/04/2019 21:37

Boeing desativou dispositivo de segurança do 737 Max sem informar aéreas


Nova York, 28/04/2019 - A Boeing não avisou as companhias aéreas nem o órgão regulador de aviação dos Estados Unidos de que desativou um dispositivo de segurança dos modelos mais novos de suas aeronaves 737 MAX, segundo membros do governo e da indústria de aviação. O alarme informava pilotos sobre o mal funcionamento da "palheta de ângulo de ataque", que poderia indicar dados errados sobre a inclinação do nariz do avião.

No 737 MAX, que posui um sistema automatizado de prevenção de interrupção chamado MCAS, a Boeing tornou o alarme opcional: eles operariam apenas se as companhias aéreas comprassem um pacote de medidas de segurança adicionais. Os responsáveis por investigar as causas da queda do avião da Ethiopian Airlines em março e do voo da Lion Air no ano passado estão ligando a falta do dispositivo às tragédias.

Segundo fontes da indústria e do governo americano, as equipes de administração e tripulações das aéreas não souberam da ausência do sistema de alerta por mais de um ano. A maior parte delas só ficou ciente da mudança após a queda do avião da Lion Air, ocorrida em outubro do ano passado e que levou a uma revisão do design do modelo da Boeing.

Os jatos 737 MAX estão proibidos de voar desde 13 de março, três dias após o acidente da Ethiopian Air. A Boeing não informou porquê desativou o dispositivo. Fonte: Dow Jones Newswires.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos